11 dicas para fazer do seu site um sucesso

10 Dicas Website

A busca constante por aprimoramento das técnicas de criação para a Internet é uma coisa muito boa para o profissional. Porém, tão importante quanto capacitar-se é capacitar sua criação para aparecer bem na Rede. Principalmente no Google. Abaixo segue algumas dicas importantes para melhorar a visibilidade de suas páginas na Web:

1. Inscreva-se para obter as ferramentas para Webmasters;

2. Se coloque no lugar do usuário.

Evite termos muito técnicos ou linguagens que só profissionais da área entendem. Faça com que a linguagem de seu site seja a mais natural possível, e o mais importante: Que seu site fale para o público-alvo a ele destinado.

3. Torne os URL simples:

example.com/products/widget.html e não example.com/asdasd/rewiruewr?asd=2131209840392

4. Desenhe a estrutura de seu site num papel antes de criar efetivamente.

Faça com que todos os links de sua página partam de pelo menos um lugar. Links “vazios”, “corrompidos” ou meramente “orfãos” diminuem a visibilidade do site, além de causar frustração no usuário que busca a informação em sua página.

5. Utilize cabeçalhos adequados e torne os títulos interessantes e relevantes para cada página.

E lembre-se, evite a todo custo repetir o título nas páginas. Se você está na home, que ela tenha um título criativo, para HOME, se está na página de contatos, idem.

6. Forneça boas descrições Meta para o ajudar com os fragmentos (os extractos da página que mostramos nos resultados de pesquisa).

As Meta tags são tags de HTML (como que lhe permitem fornecer informações adicionais sobre a sua página).

7. Faça uso consciente de tecnologias como o Flash.

Apesar de bonitinho, um site “full-flash” não tem acesso a recursos interessantíssimos como o Google analytics.

8. Faça uso das ALT tag’s nas imagens.

O Googlebot não reconhece imagens, por isso o uso dessas tag’s faz com que as imagens consigam ser categorizadas adequadamente. Além disso, se por qualquer motivo a imagem não carregar, ela é substituida pelo texto definido na ALT tag, fazendo com que o internauta entenda o contexto mesmo sem visualizar a imagem.

9. Divulgue seu site.

Troque Banners. Quanto mais links apontando para sua página, maior será sua visibilidade na Web.

10. Um site é quase como um organismo vivo.

Está sempre evoluindo. Fique de olho nas novas tecnologias, mas sempre pesquise antes de usar, para que a experiência do usuário em seu site seja sempre e melhor possível, pois a maior propaganda de todas continua sendo o “boca-a-boca”. Se gostarem de seu site vão acessar, se não gostarem não acessarão.

11. Contrate a Web Lúdica.

Não tenha esse trabalho todo! Cuidamos de todas as outras dicas por você. Peça um orçamento.

Fonte:https://www.oficinadanet.com.br/

Saiba como foi o processo de criação do site da Web Lúdica

Iteração, sempre!

Desde as primeiras versões do site da Web Lúdica, tínhamos a preocupação de fazer o melhor quanto ao seu conteúdo. Mas por trás de todas as informações sobre Serviços, Portfólio e notícias do Blog, havia um cuidado especial em fazê-lo efetivamente eficiente ao público alvo.

Inicialmente trabalhamos em uma linha conceitual de Flat Design. E dentro desse conceito, fizemos o uso de diversas imagens ilustrativas, flat icons, backgrounds, entre outras soluções visuais. Ficou Show!

Entretanto, percebemos que o peso das imagens atrapalhava o carregamento do site. Isto foi constatado através de ferramentas de medições de performance (Google Page Speeds e GTMetrix). No momento dos testes, nossa avaliação foi de 54% (em uma escala até 100). Achamos que estava tudo errado! Pensamos em derrubar tudo…

 

Mas ainda não estava perdido!

Após refletirmos sobre os caminhos a seguir, realizamos testes de usabilidade baseados no Design Thinking e User Experience (UX), e começamos a ver uma luz no fim do túnel.

Teríamos que efetuar alterações consideráveis ao site, passando pela reformulação da arquitetura de informação, otimizamos para dispositivos móveis e também a redução do peso da imagens. Bingo!

Passamos nossa avaliação para 70%. Muito bom!

Logo pensamos que ali tínhamos um site que abria muito bem no celular, era leve e possuíamos uma avaliação razoável nas ferramentas de medições de performance. Vamos vender Serviços, Uhuuu!

 

Estávamos “satisfeitos”. SQN!

Fizemos uma introspecção sobre nossa filosofia de trabalho e notamos que não vendemos apenas serviços, mas experiências de sucesso aos nossos clientes.

Houve então um questionamento! “Como poderíamos ter algo razoável (como produto), se queremos vender algo excepcional?!”

 

Partimos novamente para a prancheta!

Realizamos testes com usuários reais utilizando o (Think-Aloud protocol) e notamos falhas cruciais no site. Eram problemas na orientação (landscape e portrait) nos dispositivos móveis e na arquitetura de informação do site que não estava bem definida. Outra dificuldade encontrada, foi a do usuário não conseguir preencher os campos no formulário de orçamento com excesso de campos que pareciam excessivos e muito detalhados para um primeiro contato.

Reunimos os resultados destes testes e outros pontos observados para finalmente concluímos que o projeto deveria passar por uma nova reformulação. Desta vez, focada totalmente no usuário!

 

Era hora de meter a mão na massa pra valer!

Realizamos uma otimização mais abrangente para dispositivos móveis, melhoramos consideravelmente a orientação do site para tablets e smartphones (sem perder informações ou gerar quebras de linhas). Removemos backgrounds desnecessários por simples CSS e CSS3, além de substituirmos imagens por ícones do Fontawesome. Utilizamos uma técnica chamada de Card Sorting para definirmos os rótulos da navegação do site, baseados nas próprias escolhas dos usuários testados.

E por fim, repensamos o formulário de orçamento de forma simples e objetiva.

 

Agora estávamos no caminho certo!

Após os testes e reformulação do site, utilizando usuários (reais), os resultados foram realmente consideráveis. Refletindo também nos testes de performance, onde passamos para uma avaliação de 90%.

 

Considerações finais

Estamos sempre realizando testes contínuos em busca dos melhores resultados para os nossos projetos. E entendendo, que as vezes é preciso que sair da zona de conforto para atingir objetivos mais ousados.

Somos criteriosos em nossos projetos, sempre buscando a melhor experiência para nossos clientes e seus usuários.

Somos uma agência digital criativa, somos lúdicos!

 

Gostou da nossa forma de trabalhar?

Solicite um orçamento para criação de site, agora mesmo!

SEO: Técnicas para melhorar o posicionamento do seu site no Google

SEO

Como alavancar a estratégia de SEO de seu site e conseguir rankings cada vez melhores nos buscadores? Vamos te mostrar algumas dicas rápidas e simples de SEO para serem colocadas em prática agora mesmo!

 

1. Escolha a palavra-chave certa

Pode parecer básico (e até é), mas esse é um detalhe muito importante que muitos deixam passar.

Busque a palavra-chave certa! E não, a certa não é a com maior volume de buscas, nem a com menor dificuldade de rankeamento. Ela é aquela que está relacionada à sua persona, solucionará o problema dela e tem chances reais de rankeamento.

Mas como encontrar essa palavra-chave? Bons conselhos são:

use long-tail keywords (confira a dica 15 deste conteúdo);
escolha palavras de nicho, ou seja, mais específicas;
faça a busca e analise a SERP. Os resultados deixam a desejar? O Yahoo Respostas é um dos primeiros resultados? As páginas encontradas são ruins? Já pode começar a produzir seu conteúdo;
se você usa uma ferramenta de palavras-chave, compare diferentes termos e escolha aquele com um volume de buscas médio para baixo e uma concorrência menor.

Além disso, escolha uma palavra-chave para dedicar a otimização do seu conteúdo. É melhor orientar seus esforços em uma do que em várias.

 

2. Realize o objetivo da busca

Ok, você escolheu sua palavra-chave. Mas… e agora?

A verdade é que não adianta escrever um conteúdo “aleatório sobre o tema”. Você pode escrever o maior e mais completo conteúdo sobre um tema, mas de nada adianta se ele não responder a intenção de busca do usuário.

Quer um exemplo?

Vamos supor que sua persona procurou no Google “qual material devo usar na minha porta?”.

Você pode escrever tudo sobre portas: pode falar das maçanetas, pode citar 20 materiais diferentes e até mesmo abordar dimensões. Mas é essa a resposta que sua persona quer?

Na verdade, faz muito mais sentido ir direto ao ponto, não é mesmo? E ir direto ao ponto não significa que seu conteúdo precise ser curto ou raso. Pelo contrário: a persona deve sair dali sem dúvidas.

A satisfação da persona é fundamental, tanto para ela, quanto para o seu site, mas, principalmente, para o Google.

O buscador tem maneiras de identificar quem está entregando o conteúdo esperado (ou até mesmo superando essas expectativas).

Mas como realizar, de fato, o objetivo da busca?

 

3. Observe os primeiros resultados da busca antes de escrever seu conteúdo

Uma boa ideia para entender o que as pessoas procuram e o que suas dúvidas é observar atentamente os primeiros resultados da busca (tanto em português quanto em inglês, já que é muito interessante entender quais as tendências do mercado também no exterior).

A partir dessa observação, você consegue encontrar pontos em comum e mesmo questões ainda não respondidas para estruturar um conteúdo ainda mais completo.

Entenda o que esses conteúdos oferecem e tire ideias. Coloque-se no lugar da sua persona: falta algo ali? Existe algum ponto que está demais?

Se você usar alguma ferramenta de palavras-chave, observe quais as palavras-chave relacionadas ou quais os termos que os usuários buscam para o resultado selecionado.

Por fim, ao redigir seu conteúdo, seja claro, objetivo e completo! Assim, você vai garantir que o usuário encontre o que precise no melhor conteúdo sobre o tema.

 

4. Faça URLs amigáveis

As URLs funcionam como um endereço da página na internet. Garanta que elas sejam amigáveis, ou seja, fáceis de ler e memorizar.

É importante também que as URLs sejam atemporais, o que permite a atualização de conteúdo sem necessidade de mudança de URL.

Lembre-se: uma URL nunca deve ser alterada, pois você perderia toda a autoridade já conquistada naquela página. (Caso precise alterar URLs, você deve fazer o redirecionamento do conteúdo.)

E fique tranquilo! Fazer URLs amigáveis é bem simples. Evite URLs longas, com muitos subdomínios, hashtags (ou outros caracteres) e números. Seja simples e claro em sua URL.

Quer um exemplo? Vamos supor que você fez um post com o seguinte título: “Os 10 melhores destinos para conhecer em 2018”. A sua URL até poderia ter essa estrutura, mas olha como ela ficaria:

www.seusite.com/os-10-melhores-destinos-para-conhecer-em-2018
Repare como ela não permite atualização de conteúdo, tanto por serem 10 destinos (e se você quiser colocar um a mais?) quanto por ser temporal (e se você quiser atualizar o post em 2019 e redivulgá-lo).

A não ser que você queira criar um post para cada ano (o que pode ser interessante, mas exigirá que você conquiste autoridade para aquela página toda vez), boas opções de URL seriam:

www.seusite.com/melhores-destinos
www.seusite.com/destinos-para-conhecer

Viu como isso faz a diferença? Além de agora você poder atualizar o conteúdo sem medo, você ainda garantiu uma URL curta e sem números!

 

5. Atualize seu conteúdo

Você já ouviu falar em atualização de conteúdo? Ela é uma importante estratégia em SEO.

Isso porque não adianta apenas publicar um grande volume de conteúdo, se seus posts anteriores tornam-se ultrapassados e obsoletos.

Só porque seu conteúdo é evergreen não significa que ele durará pra sempre. Pelo contrário: para ser evergreen, ele precisa ser atualizado!

Os usuários interpretam atualização de conteúdo de forma positiva — e o Google também (o que impacta diretamente nos rankings)!

O motivo é simples: conteúdos atualizados oferecem informação sempre relevante e serão, portanto, sempre úteis, acompanhando as tendências e mudanças do momento.

 

Conteúdo na 1ª posição:

se você tem uma primeira posição, parabéns! Você está fazendo um ótimo trabalho. Mas isso não significa que você pode relaxar: fique sempre atento aos resultados seguintes e ao Search Console (acompanhe CTR e variação da posição) para não perder a posição;

Conteúdos entre 2ª e 5ª posições:

você já está na parte mais privilegiada da SERP! Não desperdice isso. Você provavelmente não vai precisar fazer grandes alterações nestes conteúdos, e sim atualizações pontuais (como acrescentar ou atualizar informações) e mudanças na Title Tag e na Meta Description (que podem garantir maior CTR). Para entender o que alterar em seu conteúdo, uma boa ideia é fazer uma analise dos resultados antes de você;

 

Conteúdos entre 6ª e 20ª posições:

aqui está o ouro da atualização de conteúdo! Esses conteúdos têm alto potencial de conseguir posições mais altas. Pensa bem: eles são conteúdos “ok” e já estão nessas posições. Imagina se você otimizá-los ao máximo? Aqui, vale a pena fazer toda uma reestruturação do conteúdo, tornando-o melhor do que todos os primeiros resultados. Feito isso, atualize também a Title Tag e a Meta Description e divulgue nas redes sociais;

 

Conteúdos temporais:

esses conteúdos, independente da posição, devem ser sempre foco de atualização, pela relação temporal existente. Por exemplo: nosso conteúdo sobre as Redes sociais mais usadas do Brasil precisa ser atualizado todos os anos, já que esse é um dado temporal e que sempre muda de acordo com novos relatórios que surgem todos os anos.

Além desses, preste sempre atenção aqueles conteúdos que são fundamentais para o seu negócio e que trazem mais clientes e usuários para sua estratégia. Perder posições neles seria uma ameaça muito grande para as táticas de marketing de conteúdo da sua empresa.

 

Fonte:http://www.agenciaflag.com.br/

O que é o Whatsapp Business?

Whatsapp Business

O Whatsapp é, atualmente, a ferramenta de comunicação utilizada com maior frequência no Brasil e no mundo – são, em âmbito global, nada mais nada menos do que 1,3 bilhão de usuários conectados e ativos. A razão para isso é compreensível: ele possibilita a troca de mensagens instantâneas, em tempo real e por meio de uma plataforma simples, de fácil compreensão e leve para os smartphones.

Com diversas funcionalidades e benefícios, não é à toa que empresas de todos os portes e segmentos do mercado, aos poucos, foram notando o potencial do Whatsapp. Nos últimos anos, organizações em todo o mundo passaram a incorporar a ferramenta em suas estratégias, tornando-a uma aliada para a divulgação de promoções, campanhas de marketing ou até mesmo na hora de possibilitar o contato rápido e direto com os clientes.

Mas apesar disso, o Whatsapp ainda não contava com estrutura plena, adaptada e regulamentada para o meio corporativo – o que finalmente se tornou uma realidade.

Como assim?

No meio do mês de janeiro, a plataforma decidiu lançar o Whatsapp Business, uma extensão voltada com exclusividade ao meio corporativo.

Mas afinal, o que é Whatsapp Business e quais serão suas funções? A seguir, conheça mais sobre ele.

O que é Whatsapp Business?

O Whatsapp surpreendeu (e muito) a comunidade corporativa com o seu lançamento.

Mas afinal, o que é Whatsapp Business?

Resumidamente, o Whatsapp Business foi pensado para melhorar a comunicação entre os clientes e a empresa, independentemente do seu porte e segmento de atuação.

Por enquanto o aplicativo já está disponível (gratuitamente) para Android – e deve ser liberado para o iOS nas próximas semanas.

Para permitir melhor comunicação entre o cliente e empresa, o Whatsapp Business conta com funcionalidades e ferramentas que visam a classificação e automatização de mensagens, além da possibilidade de respondê-las mais rapidamente e de modo mais eficiente.

A seguir, confira quais funcionalidades são essas.

Quais as principais funções?

1. Perfis comerciais/profissionais

Diferentemente do Whatsapp tradicional, com o Business o usuário se tornará comercial – e por isso, poderá adicionar uma breve descrição sobre seu negócio, telefone, horário de atendimento, localização, endereço do site e e-mail.

2. Oferecer respostas rápidas

Com o Whatsapp Business, algumas mensagens poderão ser criadas e salvas para responderem aos clientes com maior facilidade e rapidez.

Essas mensagens podem responder as perguntas mais frequentes relacionadas ao empreendimento, pode fornecer informações sobre entrega, descrições de serviços e/ou produtos, termos de uso e assim por diante.

3. Possibilidade de automatizar mensagens

Outra funcionalidade oferecida pelo app diz respeito à possibilidade de automatização de mensagens. Basicamente, são mensagens instantâneas que poderão ser enviadas aos clientes quando o perfil estiver ausente. O mesmo também serve para mensagens de apresentação ou saudação, por exemplo.

4. Relatório de contatos

Com o app, o usuário poderá monitorar algumas estatísticas e dados referentes aos contatos e fluxos de mensagens.
Sendo assim, a empresa terá controle sobre o número de mensagens lidas, entregues, enviadas e assim por diante.

Agora que você já sabe o que é Whatsapp Business e suas principais funções, o que ainda está esperando para adaptá-lo às estratégias de marketing digital da sua empresa? Aproveite e confira nosso artigo sobre como fazer publicidade no Whatsapp!

Fonte:http://www.postdigital.cc/blog/

Neuromarketing

Neuromarketing

O poder da combinação Neuromarketing + Marketing de Conteúdo

Neuromarketing nada mais é que a junção entre neurociência e marketing.
O princípio por trás da neurociência é entender como o cérebro humano funciona.

Sendo assim, neuromarketing significa usar as descobertas científicas sobre como as pessoas reagem a diferentes estímulos para criar estratégias de marketing mais inteligentes e eficazes.
A tomada de decisões, que muitas vezes julgamos ser lógica, na verdade é fruto de uma série de reações químicas do cérebro, que só fazem sentido quando analisadas de forma científica.

Em outras palavras, o que consideramos como escolhas conscientes pode ser apenas resultado da manipulação de nossos sentidos. Não é à toa que o marketing sensorial está fazendo tanto sucesso por aí.
Na prática, a ciência pode ajudar a determinar por que os consumidores preferem uma marca em relação à outra ou de que forma faz mais sentido agir para estimular a fidelização de clientes.

Então, por que não fazer uso de mais esse recurso na busca pela atenção do seu público?
Veja agora algumas formas simples de fazer isso:

9 formas de aplicar o neuromarketing no seu negócio

Existem muitas formas de aplicar o neuromarketing sem dificuldade no seu negócio.
É muito importante se lembrar disso, porque geralmente lembramos de cálculos complicados e análises complexas quando pensamos em ciência.

Aqui o caso é exatamente oposto.
Veja como algumas mudanças na forma de se comunicar e posicionar a sua marca pode alterar completamente a percepção dos consumidores a respeito dela:

1. Use a psicologia das cores

Acredite: a psicologia das cores não é besteira.
Pode parecer que não tem nada a ver a paleta de cores da sua marca com a percepção das pessoas a respeito dela, mas essa é a mais pura verdade.
O que acontece é que temos o costume de associar certas cores com sentimentos. Por conta disso, faz sentido estudar bem o que cada tom significa e usá-lo de acordo com seu objetivo para a página ou o material em questão.
As grandes marcas consideram cuidadosamente o efeito de cada cor em suas embalagens, materiais promocionais etc., e vale a pena fazer o mesmo no seu negócio.

2. Aposte em gatilhos mentais

Gatilhos mentais são fatores que nos levam a tomar decisões de forma “automática”, uma forma que o nosso cérebro encontra para se manter são em meio a tantas decisões com que nos confrontamos.
Ou seja, diante de certos estímulos, o cérebro entende que você precisa agir rapidamente.
Esses estímulos, quando usados no marketing, normalmente levam à conversão.
Alguns dos principais são:

prova social: mostrar quantas pessoas visitam seu blog ou já compraram seu produto vai motivar quem chegou agora a fazer o mesmo. Afinal, temos a tendência de seguir a maioria;
escassez: edições limitadas são o exemplo perfeito de como criar um efeito de escassez pode ser positivo. O cérebro entende que precisa agir rápido para não perder a oportunidade;
urgência: seguindo o mesmo princípio da escassez, a urgência leva a pessoa a agir por impulso. Será que funciona? A Black Friday prova que sim;
exclusividade: as pessoas amam fazer parte de grupos seletos ou ganhar acesso antecipado a produtos e serviços, pois a sensação de exclusividade as faz sentir importantes.

3. Faça testes A/B

Até agora já falamos sobre o uso das cores e de gatilhos mentais. Mas como saber se as cores e os gatilhos escolhidos por você são realmente os que mais convertem?
Por fazer comparações entre eles, e é justamente aí que entram os testes A/B.
O objetivo é criar diferentes versões da mesma página, com alterações mínimas, e ver qual delas traz melhores resultados.
Por exemplo: você pode mudar a imagem de fundo de uma landing page ou a cor de um botão de CTA.
O público será automaticamente dividido entre as 2 versões e, no fim, a que gerar melhores resultados permanece.

4. Aplique a ancoragem de preços

O nosso cérebro tem grande dificuldade de pensar no preço com base no valor isolado de um produto, ou seja, pelo que ele realmente faz por nós.
Em vez disso, é mais fácil tomar por base os preços para produtos similares e observar se a oferta em questão está cara ou barata.
Dessa forma, o preço de um celular é considerado alto ou baixo mais pelo preço dos concorrentes que oferecem as mesmas funções e configuração do que pelos benefícios que vai trazer ao dono.
O exemplo mais famoso vem das feiras e mercados, com o famoso “2 por 1” e “5 por 3”.
Talvez o consumidor não precise de 3 itens, mas ele considera uma “economia”, já que se comprasse os 3 de forma separada, pagaria mais.

5. Ofereça valor antes de realizar um pedido

Como manda o manual de boas práticas do inbound marketing, é preciso tentar ajudar antes de tentar vender. O que isso significa?
Em vez de chegar empurrando seu produto ou serviço para qualquer pessoa que mostre o mínimo de interesse, mostre-se pronto para ajudar.
Isso pode ser feito por tirar dúvidas, oferecer conselhos práticos de como agir e dar sugestões de que produto funcionaria melhor para a pessoa.
Faça isso mesmo que não seja o mais vantajoso para você ou que o produto em questão nem faça parte do seu catálogo.
Se fizer isso, as pessoas terão confiança na sua marca, e o princípio da reciprocidade vai entrar em ação. O cliente vai ser mais propenso a retribuir a ajuda comprando de você.

6. Domine a arte do storytelling

A arte de contar histórias de modo cativante faz grande diferença na hora de conquistar clientes.
Todo mundo gosta de se entreter com conteúdo de qualidade, e isso cria uma relação mais próxima entre sua empresa e o público.
Além disso, o conteúdo bem produzido é mais persuasivo e tem um efeito poderoso em gerar conversões, quer na hora de assinar uma simples newsletter ou de comprar a solução que o seu negócio oferece.

7. Repita ideias e conceitos de forma estratégica

“A repetição é a mãe da retenção.”
Esse ditado tem um lugar especial no coração de quem faz marketing, pode acreditar.
A repetição de ideias e conceitos de forma estratégica torna sua mensagem mais poderosa e persuasiva.
Com o tempo, mesmo alguém radicalmente oposto às suas ideias pode mudar de ideia se as ouvir por tempo suficiente.

8. Capriche no design

O design do seu site, blog e até elementos impressos (como embalagem e cartão de visitas) têm que ser impecável e estar de acordo com os outros princípios que destacamos aqui.
Quanto melhor o design, mais vontade as pessoas terão de explorar o que o seu negócio pode fazer por elas, além de aumentar a confiança delas na sua capacidade de entregar o valor esperado.
Assim como uma pessoa limpa, cheirosa e bem-vestida causa uma impressão melhor do que alguém sujo e desleixado, o design agradável e fácil de entender é infinitamente superior a um sem forma e função.

9. Ofereça poucas opções de escolha

Por último, é muito importante entender que uma das funções do neuromarketing é nos ajudar não só a saber o que fazer, mas também o que deixar de lado.
Um erro muito comum que você deve evitar com base nas descobertas científicas têm a ver com a quantidade de opções que oferece para os seus clientes.
Sempre aprendemos que, quando se trata de oferecer um catálogo de produtos, quanto mais, melhor. Será mesmo?
De acordo com a neurociência, nem sempre essa afirmação é verdadeira.
Por quê?
Segundo estudo da Universidade Columbia, opções em excesso podem causar uma paralisia nos consumidores. Por não saber qual é a escolha certa, muitos acabam por evitar a decisão por completo.
A melhor saída é encontrar o equilíbrio, e apresentar as opções de forma que não tenham um efeito paralisante sobre os clientes. Nesse caso, vale outro dito popular: “menos é mais”.
Aplicar o neuromarketing na sua empresa não é algo fora da realidade. Como ficou claro pelas dicas mostradas aqui, é mais fácil do que parece.
Adotar princípios básicos de neurociência nos seus canais e ações digitais já vai ser suficiente para trazer resultados e encorajar ações positivas nos seus clientes.

Fonte: https://marketingdeconteudo.com/neuromarketing/

Conheça as melhores formas para se comunicar com os clientes

Conheça as melhores formas para se comunicar com os clientes

A comunicação com os clientes se tornou algo indispensável, estratégico e também fundamental, seja para a fidelização dos clientes que já conhecem a sua empresa, serviço ou produto ou, ainda, para conquistar novos clientes em potencial. Vivemos a era da informação e da conectividade.

E, dentro disso, conheça abaixo os melhores canais para se comunicar com os seus clientes e, assim, expandir o seu negócio de forma segura a pequeno, médio e longo prazo, sendo reconhecido como um empresário(a) que se preocupa com a comunicação com seu público-alvo e que dá valor ao que eles pensam, acreditam, esperam etc.

Telefone

Como um dos melhores canais para se comunicar com os clientes temos o telefone. Seja no contato ativo (entrando em contato com seu público para lhes oferecer algum produto ou serviço novo) ou no contato receptivo (quando os clientes entram em contato com a sua empresa) o telefone é indispensável.

É importante, ao telefone, ter funcionários que conhecem a sua empresa. Também é importante que eles estejam preparados para atender reclamações ou dúvidas. Ter pessoas preparadas para responderem a essas reclamações é um diferencial, sempre com ênfase em deixar os seus clientes satisfeitos e seguros sobre os seus produtos ou serviços.

E-mail

Ainda é uma ótima ferramenta de comunicação com os clientes. Você pode utilizá-los, por exemplo, como um canal de comunicação para responder a questionamentos, dúvidas, reclamações etc., desde que se faça como um meio dinâmico e direto, pois nenhum cliente gosta de esperar 3 ou 5 dias por uma resposta.

O e-mail também pode ser utilizado para enviar materiais e informações de novos produtos ou serviços (e-mail marketing). Ou, ainda, informações sobre a sua empresa ou algo de diferente que irá ocorrer, além de notícias e informações relevantes sobre determinado mercado. Algo que o seu cliente também se interesse (newsletter).

Aplicativos de mensagens

Também configura como um dos melhores canais para se comunicar com os clientes os aplicativos de mensagens, como por exemplo o Whatsapp. Além de poder criar grupos com seus clientes, divididos por produto ou serviço que gostam ou usufruem, os aplicativos de mensagens são praticamente instantâneos na hora de fazer essa comunicação.

Porém, é preciso ter cautela ao utilizá-lo, pois trata-se de uma ferramenta potente e que pode tanto ajudar quanto prejudicar, em partes, algumas ações da sua empresa. Tenha uma pessoa específica para cuidar desses aplicativos de mensagens. Uma pessoa que também conheça o seu negócio, que escreva bem etc.

Notificações Push

As notificações push são mensagens curtas, diretas, que podem ser enviadas para aplicativos de celulares ou aplicativos em geral. Aqui, o seu cliente recebe informações sobre promoções, um novo serviço, um novo canal de comunicação, um alerta sobre a resposta à sua reclamação, por exemplo, diretamente no celular, tablet ou computador.

As notificações push são interessantes pois sempre mantém o seu público antenado à sua empresa e as informações que você considerar importante. Além disso, ela é usada como lembrete de algum evento que você realizar, por exemplo, desde que com cautela, sem insistentes mensagens, o que se torna desagradável.

Fonte: http://www.postdigital.cc/blog/