Entenda o que é Link Building e qual a sua importância

Não dá para falar o que é Link Building em um site sem falar de SEO. O Search Engine Optimization é uma série de ações feitas em um site para melhorar o seu ranqueamento, principalmente no Google, a maior plataforma de buscas da internet.

O Google utiliza vários critérios orgânicos e pagos para mostrar os resultados no momento em que alguém realiza uma busca. São 200 fatores de classificação e o Link Building é um dos principais. Saiba mais sobre ele a seguir!

O QUE É LINK BUILDING?

A internet é um hipertexto. Ela está organizada de tal maneira que as informações em texto, vídeo e imagens permitem que o usuário tenha a liberdade de escolher vários caminhos sem estar preso a uma ordem linear.

O Link Building é uma prática de linkagem que ajuda a conquistar mais links de domínios relevantes, indicando para o site desejado. Além de verificar o número de indicações, o algoritmo também confere a qualidade e quantidade de links.

Não adianta pagar para outros sites indicarem o seu domínio se esse site não tiver afinidade com o seu seguimento. O Google consegue verificar o conteúdo linkado. Portanto, ele saberá quando é feita uma indicação para um site de moda em uma página de gastronomia, por exemplo.

Os mecanismos de busca levam dois pontos em consideração: a página para onde o link aponta (página de destino) e a palavra que contém o link (texto âncora).

COMO CRIAR AUTORIDADE ATRAVÉS DO LINK BUILDING?

Existem duas formas de trabalhar com os links, cada uma tem uma finalidade específica.

LINKS INTERNOS

Links internos são ligações entre páginas do mesmo site ou domínio. Ela pode ser usada em post blog ou call-to-action em final de páginas. Essa forma de linkagem não tem tanta força quanto a externa, mas ela aumenta o tempo de navegação do usuário dentro da página e indiretamente mostra aos ranqueadores que essa página é relevante.

Por exemplo, se o usuário faz uma busca no Google, entra em determinada página, fica 30 segundos e sai, o ranqueador entende que a busca não está alinhada com o resultado. Se o usuário pesquisa, entra e fica 5 minutos lendo textos e visitando páginas diversas, o Google entende que o site está alinhado com a busca e que ele pode ser mostrado mais vezes, ganhando autoridade naquele assunto.

LINKS EXTERNOS

Os links externos são os mais relevantes e apontam para fora do site. Porém, como já citado, não basta ter qualquer site indicando para o seu domínio. O que realmente tem mais efetividade é uma página de autoridade indicando para o seu site. Por exemplo, o G1 é o maior site de notícias do Brasil. Ter o seu site sendo indicado por ele é algo positivo.

Outra forma de conquistar boas indicações de links são os guest posts. Se você é expert em algum assunto, pode publicar um artigo como convidado e redirecionar links no texto para o seu site ou domínio.

TERMOS PARA FICAR LIGADO

DOMAIN AUTHORITY

Métrica que determina a qualidade geral de um website. Imagens, URL, links, número de visitantes e conteúdo são fatores usados para qualificar um site.

PAGE AUTHORITY

A autoridade das páginas dentro de um site ajuda na construção do Domain Authority. Quanto mais confiável uma página, mais indicações ela recebe e melhor é o ranqueamento geral do site.

TEXTO ÂNCORA

É o texto ou palavra que aparece em um link. Esse termo é visualizado ao longo do texto de cor diferente e sublinhado para que o usuário identifique que ali pode conseguir maiores informações sobre o assunto tratado. O texto âncora é importante para o Link Building, pois é ele que os buscadores considerarão como fator de relevância na página.

 

Saiba mais um pouco do nosso serviço de Criação de Site clicando aqui.

Aumentar o engajamento na página do Facebook: Qual o Segredo?

O Facebook, atualmente, é a maior rede social do mundo, com 2 bilhões de usuários ativos, segundo o último levantamento divulgado pela plataforma. Com tanta audiência, o canal passou também a ser utilizado como ferramenta de marketing para muitas empresas.

E isso não acontece por acaso! Afinal, o Facebook dispõe de muitas vantagens na divulgação de produtos e serviços, como baixo investimento, alto poder de segmentação e a possibilidade de mensuração exata dos resultados.

Mas, apesar de o canal disponibilizar uma série de recursos para potencializar os resultados das empresas, a ferramenta não faz o trabalho sozinha. Para aumentar o engajamento na página do Facebook, é necessário realizar algumas ações como as que destacamos a seguir. Acompanhe!

PRODUZA CONTEÚDO DE QUALIDADE

É muito comum que empresas utilizem suas páginas no Facebook apenas para divulgação direta dos seus produtos.

Trata-se de um grande erro! As pessoas geralmente não são atraídas por esse tipo de publicação e até se irritam quando algumas marcas fazem isso de maneira constante.

É fundamental produzir bons conteúdos, de acordo com a linguagem e com os interesses do seu público. Além de atraí-los com informações realmente úteis, você pode se tornar referência no mercado em que atua, gerando mais confiança e credibilidade.

CRIE ANÚNCIOS

O Facebook Ads é a ferramenta do Facebook que permite que anúncios sejam veiculados dentro da própria plataforma. Ele disponibiliza diversos formatos, que podem ser escolhidos conforme seus objetivos.

Uma das opções é a de “envolvimento”, uma campanha mais direcionada para a interação dos usuários com a publicação, seja comentando, curtindo ou compartilhando, e, consequentemente, aumentando o engajamento na página do Facebook.

INTERAJA COM O PÚBLICO

De nada adianta que seu público esteja envolvido nas publicações, curtindo, comentando ou compartilhando, se não há um envolvimento da sua empresa com essas interações. É preciso estar atento para responder todos os comentários dos usuários, inclusive os negativos. Sempre busque a melhor solução para cada questionamento ou problema.

Além disso, é interessante realizar publicações fazendo perguntas para os usuários e pedir opiniões sempre que possível para estreitar o relacionamento. Mas evite abordar assuntos polêmicos!

PUBLIQUE NOS HORÁRIOS CERTOS

Dependendo da rotina do seu público, existem alguns horários em que eles estão mais presentes nas redes sociais.

E isso também é importante na hora de gerar mais engajamento. É preciso estudar em quais os momentos seus fãs estão mas ativos no Facebook. Para essa análise, você deve fazer publicações em diferentes horários e avaliar em quais períodos seus posts têm um retorno melhor.

MENSURE OS RESULTADOS

Você tem bom conteúdo, cria anúncios, interage com o público, publica nos horários certos, mas ainda assim não consegue ter o retorno esperado? Talvez você esteja se esquecendo de fazer uma das etapas mais importantes: mensurar os resultados.

Para isso, o Facebook Insights apresenta diversos indicadores, como as visualizações de página, que consiste no número de pessoas únicas que interagiram de alguma forma com a publicação. Ele traz também outros dados essenciais para você analisar os resultados das suas ações e aprimorar o que for necessário.

Gostou das dicas para aumentar o engajamento na página do Facebook? Venha conversar conosco, é só chamar aqui!

Facebook: Uma divulgação ideal para Médicos

Facebook possui mais de 100 milhões de usuários atualmente, somente no Brasil. É considerada a rede social mais acessada por diferentes faixas da população – gênero, idade, classe social -, e onde as pessoas passam a maior parte do tempo conectadas.

Facebook para médicos

E não para por aí. Segundo publicação na revista americana Information Week, o Facebook é o segundo lugar onde pacientes procuram informações de saúde, antes mesmo de visitarem seus médicos. Fica atrás somente do “Dr. Google”. O uso do Facebook para médicos representa uma ótima oportunidade para o profissional ampliar sua autoridade, desenvolver um relacionamento com o público-alvo, divulgar informações relevantes e, principalmente, ser lembrado.

Selecionamos três pontos que fazem do uso do Facebook para médicos uma boa estratégia de Marketing:

 

Público-alvo

Boa parte dos atuais e potenciais pacientes estão conectados diariamente no Facebook. Eles se relacionam com seus pares, com as suas marcas preferidas e também com os seus médicos. A rede social é uma forma de levar a sua informação até ele e àqueles com os quais se relaciona, potencializando e fortalecendo o contato com seu público-alvo.

Fanpage ou Perfil Pessoal

O Facebook oferece duas opções de conta: uma de Perfil pessoal e a outra de Fanpage. A segunda opção é a ideal para promover informações profissionais. Além de permitir a divulgação de endereço de atendimento, mapa, horário, site e telefone, a página oferece recursos de gestão das publicações e de anúncios. O espaço permite que pacientes e público em geral encontrem informações relevantes sobre você, sua clínica e procedimentos.

Custo x benefício

Em comparação ao marketing tradicional, o Marketing Digital apresenta vantagens expressivas em termos de investimento e mensuração de resultados. Essas duas grandes vantagens estão bem presentes no uso do Facebook para médicos. Os anúncios – Facebook Ads permitem alta segmentação do público-alvo, como gênero, idade, interesses, localidades, etc. A rede também oferece recursos para o acompanhamento de resultados, demonstrando dias e horários de melhor desempenho, posts mais curtidos, engajamento dos usuários, etc.

Apesar de oferecer benefícios atraentes para a imagem e atuação na área médica, é importante lembrar que a presença no Facebook deve sempre respeitar as regulamentações do CFM – Conselho Federal de Medicina. Selfies com pacientes e outras ações não são permitidas pelo CFM.

Além da ética médica, o bom senso é essencial para que as ações revertam em resultados positivos de imagem e de novos pacientes. É preciso atenção às informações publicadas no perfil médico. A dica é: cuidado para não tornar seu perfil nas redes uma extensão do seu perfil pessoal ou da rotina com os pacientes. Se precisar de ajuda, conte conosco!

Como criar um site fácil e rápido em 4 passos

Você já se sentiu frustrado por não saber como criar um site para sua empresa ou projeto pessoal? Seu possível consumidor tenta encontrar o site de seu negócio e… nada!

Não ter uma presença própria no meio digital, atualmente, pode inclusive descredibilizar a sua empresa.

É claro que ter uma fanpage no Facebook ou canal no YouTube é extremamente relevante, tanto por impulsionar sua presença nas buscas do Google como para reunir a audiência que está presente nas redes sociais, mas não é o suficiente.

Criar um site só seu, além de te dar um porto seguro e uma cara só sua, permite que seu negócio entre de fato no Marketing Digital de resultados, ao permitir a criação de páginas de conversão e de um blog para atrair tráfego orgânico, por exemplo.

Não é preciso, no início, que seu site seja perfeito, ele apenas precisa existir!

Vamos mostrar nesse post que não é tão difícil assim tomar os primeiros passos. Por isso, vamos explorar brevemente 4 etapas básicas para que você tenha essas primeiras noções sobre como funciona a criação de um site.

 

Os 4 passos para criar um site:

 

1. Registrar o domínio

O domínio é o nome do seu site, a identidade dele, por este motivo, é necessário que seja escolhido com cautela. Geralmente, o domínio é o nome da sua empresa ou projeto, seguido de uma terminação. As mais populares – e recomendadas – são .com ou .com.br, porém há inúmeros outros sufixos como .net, .edu, .org, .gov, .info, .biz etc.

Registro de domínio - Web Lúdica

É importante ressaltar que quando for criar o seu site é muito mais vantajoso que você compre o domínio ao invés de utilizar plataformas em suas versões gratuitas. Quando você utiliza o nome dessas plataformas no seu domínio, está automaticamente transferindo a autoridade do seu site para elas.

Além disso, gera uma aparência não muito profissional ao seu site. Exemplos: seusite.wix.com, seusite.blogspot.com, seusite.wordpress.com.

Você pode registrar seu domínio em vários sites: Registro.br, Hostinger, HostGator, dentre muitos outros. Os valores variam de acordo com a terminação escolhida (.br costuma ser mais caro), com o plano, etc. A maioria deles já vai oferecer um serviço de hospedagem de sites, que é o nosso próximo passo.

Veja também algumas considerações importantes para escolher o seu domínio. Ele precisa ser/estar:

  • Disponível: a disponibilidade é algo muito importante, pois muitos domínios já foram registrados. A melhor maneira de aumentar suas chances de ter nome de domínio que você deseja é ser específico na escolha e buscar um nome que saia do comum e represente sua marca.
  • Simples e fácil: o endereço do seu site deve ser fácil de entender. Por exemplo, após ouvi-lo uma única vez, alguém seria ser capaz de digitar seu nome de domínio?
  • Curto: seu domínio deve ser curto: use no máximo três palavras, de preferência não mais do que duas.

 

Dicas sobre extensão de domínios

Mais recentemente, surgiram extensões de domínio e de email alternativas ao tradicional “.com.br”.

Além das extensões internacionais como o “.com”, hoje é possível registrar domínios com terminações genéricas como “.top”, “.site”, “.club”, “.online” e muitas outras. São mais de mil opções disponíveis.

Tanto as terminações internacionais, como “.com”, quanto as extensões genéricas podem ser registradas se você quer aumentar a segurança para que ninguém mais utilize o nome que você escolheu para seu domínio, além de aumentar as chances de memorização ou mitigar erros de digitação de seus clientes.

 

2. Contratar um serviço de hospedagem

A Hospedagem é o serviço de armazenamento que faz com que o seu site fique disponível para quem queira visitá-lo. As empresas que prestam esse serviço apresentam vários planos, desde alguns mais simples (e mais baratos), até outros com opções personalizadas.

Hospedagem de site - Web Lúdica

Você pode optar por registrar o seu domínio e hospedar o seu site com a mesma empresa, o que geralmente sai mais barato.

Há vários planos de hospedagens. As mais populares são:

  • Hospedagem Compartilhada: Na hospedagem compartilhada, um mesmo servidor pode abrigar centenas de sites. Sendo assim, cada site dentro do servidor possui uma determinada cota de memória, espaço em disco, etc. Isso significa que o site terá um desempenho menor, quando comparado à hospedagem dedicada. Ao mesmo tempo, o custo da hospedagem também será inferior.
  • Hospedagem Dedicada: Enquanto na hospedagem compartilhada o servidor é utilizado por diversos sites, na dedicada o seu site terá o servidor inteiramente disponível. A hospedagem dedicada possui um custo mais elevado, entretanto oferece maior segurança para os sites que possuem um alto número de acessos simultâneos.
  • VPS: É a sigla para Virtual Private Server, ou seja, Servidor Virtual Privado. Neste tipo de hospedagem, os usuários compartilham um servidor, mas cada servidor privado fica isolado do “servidor ao lado”, o que afeta menos o desempenho do site.

O ideal é você consultar as funcionalidades de cada um de acordo com o servidor que você está contratando para saber qual vale mais a pena para seu negócio.

 

3. Escolher um CMS

Após ter contratado o serviço de hospedagem, é necessário começar a construir seu site.

Um bom construtor de sites para projetos iniciais será aquele que dispensará profundos conhecimentos de HTML e que também te dará facilidade para criar o template, como falaremos abaixo, além de mais opções de aplicativos para otimizar seu site e sua experiência.

CMS - Web Lúdica

Em um projeto de um site, algo que pode trazer bastante produtividade a você a ao seu time é o uso de um CMS (Content Management System).

Trata-se de um sistema usado para gerenciar o conteúdo e o comportamento de certos elementos do site de forma mais simples e intuitiva sem, muitas vezes, intervenção de um programador.

Por exemplo, algumas alterações que você mesmo pode realizar são:

  • Realizar alterações e correções no conteúdo de uma página (textos e imagens);
  • Mudar a ordem dos itens que aparecem no menu;
  • Alterar o page title e a meta description das páginas para um melhor SEO;
  • Publicar novos posts no blog.

Existem diversos CMSs pagos e gratuitos disponíveis no mercado, cada um com suas especificidades e adequados a diferentes objetivos de negócio.

Por exemplo, um ecommerce pode encontrar maior facilidade em trabalhar com o Magento ou PrestaShop (gratuitos), ou com plataformas pagas como Loja Integrada, NuvemShop e outras disponíveis.

Para um site completo ou um blog recomendamos usar o WordPress.org (que possui mais autonomia do que o WordPress.com) ou o Joomla!, que são CMS’s (Content Management System) fáceis de serem instalados. Há muitos servidores que oferecem uma instalação rápida e prática, sem a necessidade de muito conhecimento técnico.

Se você quer facilidade de instalação, pesquise servidores que possuam essa funcionalidade e com poucos cliques seu site estará no ar.

 

Como criar um site no WordPress.org

Aqui na Resultados Digitais, utilizamos o WordPress para o blog. Caso você precise, também é possível instalar o WordPress manualmente via Cpanel no seu serviço de hospedagem.

Basicamente, este processo consiste em quatro etapas:

  • Baixar e descompactar o pacote do WordPress, disponível em português facilmente na homepage da plataforma;
  • Criar um nome de usuário e um banco de dados WordPress via Cpanel diretamente no seu serviço de hospedagem;
  • Criar e editar o arquivo wp-config.php a partir do sample nos arquivos do WordPress;
  • Terminar a instalação do WordPress diretamente no seu site.

Para ver uma explicação detalhada deste processo leia o post Como criar um blog em WordPress: o passo a passo completo.

 

Como criar um site no WordPress.com

Caso você ainda precise de algo ainda mais simplificado, pode registar seu site no WordPress.com e pagar uma taxa anual (em dólares) para registrar um domínio lá mesmo ou para mapear um domínio já existente e utilizá-lo como endereço dentro do WordPress.

A diferença entre wordpress.com e wordpress.org é simples. Segundo o próprio WordPress:

  • WordPress.org é o site de desenvolvimento do WordPress (a ferramenta para criar blogs), onde pode fazer o download do software para alojar no seu próprio ISP/alojamento, e no qual pode utilizar todos os temas que quiser, as extensões (plugins) que quiser, personalizar (CSS p.ex.), alterar idiomas, modificar o código fonte e por aí a fora;
  • WordPress.com é bastante diferente. Das mãos da Automattic, oferece um serviço gratuito de hospedagem de blogs usando o mesmo software, um utilizador cria um endereço do tipo omeublog.wordpress.com, mas que inclui certas limitações como a de poder escolher apenas alguns temas, ou de incluir no rodapé o texto “Aloje seu blog com WordPress.com”, e ainda de restringir a utilização de JavaScript, CSS e FTP.

 

4. Escolher um template

Para criar seu site o ideal é sempre escolher um template responsivo – o que não é mais uma tendência e sim uma realidade do Marketing Digital atual. Templates responsivos são aqueles que se adaptam à tela do navegador que está sendo usado para abrir o site.

Por exemplo, se você abre no celular um mesmo site que havia aberto no computador e o texto se adapta à tela menor, este é um template responsivo. Você pode fazer esse teste ao mudar o tamanho no próprio navegador: se os textos e imagens se adaptarem, você estará trabalhando com um template responsivo.

 

Confira 9 motivos para você usar um design responsivo em seu site.

Você pode escolher templates que já venham com o construtor de sites. No caso do WordPress e Joomla!, existem milhares de template, com infinitas possibilidades. Eles podem ser pagos ou gratuitos – tudo dependerá Visitar sitedo que você deseja em relação a aparência do site. Saiba o que é uma site responsivo.

Alguns sites que possuem temas para WordPress e/ou Joomla! são:

Agora que você já sabe como fazer um site, não há mais desculpas para não estar presente no meio digital! Lembre-se, são quatro passos básicos: registrar um domínio, escolher um serviço de hospedagem deste domínio, optar por um construtor de sites e escolher um template – de preferência, responsivo.

Procure manter em mente que o seu site deve ter a cara do seu negócio ou projeto – desde o domínio escolhido até o layout das páginas.

Mesmo que, em um primeiro momento, o site não fique exatamente como você está imaginando, você pode fazer alguns ajustes ao longo do tempo para personalizá-lo. O que realmente importa para dar os passos iniciais em Marketing Digital é que sua marca esteja presente e que possa ser encontrada virtualmente. Podemos lhe ajudar,saiba como

Fonte: Resultados Digitais

E-mail marketing responsivo é fundamental para a sua estratégia

O e-mail responsivo é aquele que identifica qual é a tela do usuário, de modo a adaptar o seu layout para o formato da mesma. Não à toa, ele se torna um dos mais recomendados para os dias atuais, em que nunca sabemos se o indivíduo irá acessar o e-mail por um computador, tablet, smartphone ou outro meio. Sendo assim, o e-mail responsivo tem um design capaz de otimizar a experiência do usuário de qualquer tela, tornando-a muito melhor.

Além disso, os e-mails responsivos estão entre as maiores tendências de marketing digital para 2018. Por isso, está mais do que na hora de aprender a fazê-lo de forma eficiente e vantajosa para a estratégia digital de sua empresa.

Com base nisso, confira a seguir 5 dicas de como fazer um e-mail responsivo.

O que é um e-mail responsivo?
Por que fazer e-mails responsivos?
Dicas de como fazer um e-mail responsivo
Principais Métricas

 

O que é um e-mail responsivo?

Como dito na introdução deste artigo, e-mail responsivo é a ferramenta inteligente que identifica por qual meio o usuário vai visualizar a mensagem, de modo a tornar o seu layout adequado a cada tela, melhorando assim a experiência do lead ao lhe possibilitar ver um corpo de e-mail mais ajustado e adequado independentemente de o acesso estar sendo feito de um celular ou de um computador.

A base da responsividade, vista também em outras pares tais como sites, por exemplo, usa os princípios de acessibilidade e usabilidade para garantir essa melhor experiência do usuário. Quanto melhor a experiência, melhores os resultados também algo que é impreterivelmente importante para o negócio como um todo.

 

Por que fazer e-mails responsivos?

Você com certeza quer garantir que o seu lead tenha uma experiência marcante a cada tipo de contato que tem com a sua marca, não é mesmo? Neste contexto, imagine uma situação em que sua mensagem, ao ser aberta em um smartphone, requer o uso de zoom ou de rotação de tela para que o texto possa ser visto. Cansativo, não é? Imagine então para o seu destinatário que provavelmente apenas apagará o conteúdo sem se quer ter entendido sobre o que se tratava o e-mail.

A fim de não perder oportunidades como esta, já que sim, cada e-mail jogado fora sem uma boa leitura representa uma oportunidade deixada para escanteio, é realmente importante trabalhar e saber como fazer e-mail marketing responsivo!

Com o advento da internet, o que as pessoas mais querem é praticidade e isso se estende ao uso do e-mail, um dos canais mais eficazes atualmente na transmissão de diferentes tipos de mensagens e contatos. Para garantir que o seu conteúdo seja visualizado e entendido, é necessário prever que diferentes leads acessam de diferentes plataformas aos seus e-mails e é apenas a partir da responsividade que você pode garantir que todos eles obtenham êxito no momento da abertura da mensagem.

 

Pense primeiro no mobile

Mobile comes first – ou seja, o mobile vem primeiro. Isso porque a experiência móvel é mais facilmente adaptável para o desktop. Por isso, tenha como principal objetivo a criação de e-mails responsivos para o mobile – evitando as limitações da versão em desktop para a versão móvel. Para obter êxito, vale destacar que é importante desenvolver sempre dois designs que sejam harmoniosos entre si, ou seja, ambos devem ter cores e temas semelhantes visto que são opções de uma mesma mensagem.

Cada formato deve ser desenvolvido de modo a pensar exclusivamente no acesso feito dentro do mesmo grupo, ou seja, no mobile a previsão é para acesso vindo de celulares e tablets e o desktop para computadores e notebooks. Ao ser acessado, ou ainda no momento em que o e-mail é aberto, o sistema realiza a identificação responsável por tornar a experiência melhor.

Vale destacar também a diferença entre o ser mobile e ser responsivo, visto que o último é uma das grandes tendências em marketing digital da atualidade. Enquanto que o primeiro é desenvolvido exclusivamente para o acesso a partir de dispositivos mobile, o segundo busca sempre se adaptar conforme a plataforma de acesso.

 

Use imagens pequenas

Quanto menores, melhor: e você já vai entender o motivo. Uma pesquisa divulgada recentemente apontou que o tempo máximo que o usuário aguarda pelo carregamento da página web é de 9 segundos. E os principais responsáveis pelo atraso neste sentido são as imagens muito pesadas.

Para evitar que o usuário desista do e-mail, deixe de lado as imagens pesadas e que farão com que o carregamento seja lento. A nossa dica é: se o arquivo da imagem ultrapassar 100 kb, troque-a por uma imagem de proporção menor.

 

Faça o seu e-mail funcionar com imagens desabilitadas

Quando estão conectados com rede 3g/4g ou wi-fi mais lentos (como aquelas compartilhadas por muitas pessoas), alguns usuários preferem desabilitar o uso de imagens. Sendo assim, o mais recomendado é que você aposte em e-mails responsivos que funcionem e passem as informações desejadas mesmo sem as imagens.

Lembre-se ainda que, na maioria dos casos, os botões que levam à ação também são imagens.

 

Faça um texto puro

O texto do e-mail deve ser simples, puro e objetivo – passando exatamente a mensagem que você quer passar, sem grandes rodeios. Se você estiver vendendo um produto, divulgando um serviço ou até mesmo alguma mudança na sua marca, não importa: o importante é passar essa mensagem com clareza.

Isso porque o usuário não quer passar muito tempo lendo e-mails de propaganda – ele quer resgatar apenas a essência de cada um deles. Lembre-se que, muito possivelmente, ele recebe não só o seu como dezenas ou até centenas de outros e-mails por dia. E para que o seu seja um dos escolhidos para leitura, ele deve ir direto ao ponto – sendo simples, puro e igualmente eficiente (chamando para a ação).

 

Não esqueça de fazer a sua landing page responsiva

Outro aspecto importante sobre como fazer um e-mail responsivo tem tudo a ver com as landing pages, ou seja, páginas de captura. A landing page responsiva é tão importante quanto o e-mail responsivo – isso porque, muito possivelmente, é ela que fará com que o usuário se cadastre para o recebimento dos e-mails.

Sendo assim, a landing page também deve se adaptar aos mais variados formatos – como para desktop, tablet, smartphone e demais dispositivos móveis.

 

Principais Métricas

Veja a seguir quais são as principais métricas quando o assunto é como fazer e-mail marketing responsivo com uma auferida avaliação:

 

E-mails enviados

A primeira métrica a ser estudada tratando-se de e-mails é a taxa de envios que realmente atingiram ao seu objetivo, ou seja, foram entregues na caixa de entrada do destinatário. Visto que muitos e-mails podem ser cadastrados com alguém erro, observar se estes podem ser arrumados lhe possibilita novas oportunidades, certo? Em média, pelo menos 1% dos e-mails enviados acabam apresentando algum tipo de erro. Neste caso, aproveite o retorno das respostas para atualizar a sua lista mantendo-a sempre saudável!

Também aproveite para verificar a partir desta métrica quais são os e-mails duplicados a fim de manter a sua listagem mais direta e objetiva, sem encaminhar mensagens repetidas para um mesmo lead.

 

E-mails clicados

Chamada de métrica CTR ou ainda taxa de clique, essa é uma das métricas mais importantes quando o assunto é e-mail marketing, visto que é essencial acompanhar de perto quanto das suas mensagens estão trazendo algum tipo de resultado. Evidentemente, essas taxas variam muito conforme sua base de e-mails, segmento e tipo de público, ainda assim estima-se que a taxa de cliques não ultrapasse em muito a porcentagem de 2 a 5% em cada programa lançado e divulgado.

Uma boa estratégia para melhorar o conteúdo das suas mensagens é investir em testes A/B para verificar quais os tipos de e-mails que mais atraem o interesse do público.

 

E-mails abertos

A taxa de abertura de e-mail também é outra importante métrica a ser trabalhada e acompanhada de perto a fim de ter os objetivos e metas alcançados dentro do marketing digital. Em média, as taxas de abertura variam de 20 a 30%, porém vale lembrar que quanto mais engajado o seu público estiver com você e com o seu negócio, maiores serão esses números, valendo destacar, portanto, a importância de manter sempre um relacionamento estreito.

Aqui também vale destacar a opção em fazer testes A/B para avaliar, por exemplo, os títulos enviados nas mensagens a fim de verificar quais são mais interessantes e possuem uma melhor taxa de abertura.

 

Conversão

A taxa mais importante e métrica que melhor direciona os trabalhos realizados pelo e-mail marketing, a conversão demonstra quais foram os leads que receberam a mensagem, a abriram, clicaram no CTA indicado e concluíram a etapa da página de destino que pode ser, por exemplo, uma compra ou contratação. Um dos recursos que podem auxiliar na avaliação deste conversor é o Google Analytics que oferece um histórico bastante preciso sobre de onde estão vindo cada uma das conversões.
Antes de enviar um e-mail para seu cliente e lead, trace quais são seus objetivos de conversão e depois verifique se os mesmos foram de fato alcançados.

Como foi visto ao longo deste artigo, trabalhar com o e-mail responsivo é mais do que uma oportunidade para garantir uma melhor experiência para o lead. É hoje uma necessidade para realmente atrair e prender a sua atenção, merecendo, portanto bastante cuidado! No que diz respeito a um processo contínuo de aprimoramento sobre como fazer e-mail marketing responsivo, conferir as métricas aqui apresentadas é o primeiro passo para ver os seus objetivos, de fato, alcançados.

E agora que você já sabe como fazer um e-mail responsivo, o que ainda está esperando para apostar no mesmo em sua estratégia de marketing digital? Os e-mails responsivos são fortes aliados na divulgação de marcas e no consequente aumento das vendas. Preparado para apostar nessa tendência para 2018? Podemos lhe ajudar,saiba como